O que me mata é o cotidiano. Eu queria só exceções.
Clarice Lispector.

Às vezes eu fico quieto porque quero evitar machucar quem não merece. Eu me conheço, tenho esse costume de descontar em quem não tem nada a ver com a história. É complicado isso, no fim das contas acabo machucando de qualquer jeito, se não é com uma explosão de raiva desnecessária e com uma frieza fora do comum. De qualquer maneira, ninguém entende meu jeito, nem mesmo eu. Invés de procurar abrigo e conforto com alguém, prefiro testar meus limites sozinho…
Fabio S. 

1 day ago · 2,912 notes · reblog
originally supostos · via velhice
Você acha bonito e divertido fazer todo mundo de idiota? Sério, você se orgulha de ser assim? Pra você é muito fácil apenas não atender telefonemas enquanto floresce em cada uma de suas presas a muda do ressentimento e humilhação, que lá na frente produzirá as maiores sombras frígidas. Você nem ficará sabendo. Permaneceremos jogadas no lixo que é sua memória.
Gabito Nunes. 

2 days ago · 7,691 notes · reblog
originally klippen · via citografou
Ninguém nunca entenderá meus jeitos, trejeitos e toda essa intensidade que carrego no peito. Ninguém nunca entenderá minhas lágrimas em meio aos sorrisos, minhas paranoias e teorias, muito menos meu jeito simples de ver a vida, de encontrar em cada flor, cada estrela e em cada grão de areia um motivo para sorrir, um novo motivo para seguir. Ninguém nunca entenderá minha velha coleção de palavras, amores, dores e poesias mofadas, ninguém nunca entenderá o caos existente, e o amor eminente. Ninguém nunca entenderá os mares nos olhos e a poesia nos poros.
Felipe Bueno.

2 days ago · 1,642 notes · reblog
originally incorpora · via eternue
Ninguém tinha percebido minha ausência. Ninguém nunca percebe.
A Mediadora.  

Não sou nada surpreendente, sou previsível e você sabe muito bem disso. Eu só saio com horário marcado, sou completamente fissurado por pontualidade. Eu não sei fazer surpresas, porque uma semana antes todo mundo já sabe que no aniversário de namoro vou te levar flores e dizer o quanto amo fazer tudo isso ao pé do seu ouvido. Eu planejo o trajeto das viagens, eu comprimento todo dia a moça do caixa na padaria, mesmo ela fazendo cara de bosta por ter acordado às 6:30 da manhã para trabalhar. Ela sorri, e me deseja um ótimo dia. Aliás, mais um dia completamente planejado e com um final previsível, chegando em casa cansado do serviço e esperando sair o jantar. Mas com o passar do tempo, você cansou da previsão, cansou de olhar à TV e saber a temperatura do dia seguinte, cansou de passar aniversários de namoro ganhando flores e promessas de amor ditas pelo mesmo cara no ano passado. Você cansou da minha previsão, cansou de mim. Hoje sou apenas mais alguém imprevisível e com o mesmo mau humor da mulher da padaria, hoje posso dizer que entendo ela e sua revolta ao acordar todos os dias por volta de 6:30 da manhã e me atender, a rotina cansa. Coisas previsíveis realmente são um saco, acho que também me cansei.
Cuidei. 

Vejo muitos se queixando da vida com os pés plantados no chão. Esquecem que para que as coisas mudem precisamos correr, pular, colocar um pé na frente do outro. Nada chega pronto, tudo precisa ser batalhado e trabalhado, dia após dia. O negócio é agir mais e reclamar menos. Só assim a vida acontece de fato.
Clarissa Corrêa.  

2 days ago · 5,970 notes · reblog
originally classificar · via opostos
Eu não sou bonita, não de perto, pelo menos. Normalmente, quanto mais as pessoas se aproximam de mim, menos me acham atraente.
Cidades de papel.