Meu coração é o mendigo mais faminto da rua mais miserável.
Caio Fernando Abreu.  

É bonito manifestar sentimento. E é feio só querer receber. Receber abraço, beijo, comidinha gostosa, carinho, cafuné. Na vida, a lei é clara: a gente dá e recebe. É uma via de duas mãos. Você faz, você leva. É claro que ninguém tem que fazer por merecer, mas em uma relação a gente tem que se preocupar, sim, com as necessidades do outro. E se o outro se sente mais amado com um bilhete, uma surpresa, uma flor, uma carta, um email querido, uma mensagem romântica, não custa nada ser gentil. É bom agradar quem a gente ama. O ruim é ser egoísta e só pensar nas próprias necessidades. Mesmo porque a gente deve pensar o seguinte: é agradando o outro que eu agrado a relação. Se o outro está feliz, ele vai querer a sua felicidade também.
Clarissa Corrêa. 

Eu só digo que vocês dois se merecem. Eu não sei se você faz isso porque não tem amor-próprio ou porque tem até demais, mas você é só uma daquelas meninas que não sabem o que querem e nessa incerteza, você leva todos pro buraco junto contigo. Já reparou? Destrói tudo que gosta de você. E ele é só um cara que diz que não sabe o que quer, mas que no fundo, não quer nada com nada. Não gosta de nenhuma, não gosta nem de si mesmo, só gosta de saber que consegue ter as coisas. Você é uma vadia, e ele é um imbecil. Combina.
Vinícius Kretek.   

Pela minha janela eu vejo a realidade de muitos outros, que olham nos olhos a realidade de terceiros e nem percebem. E vejo, então, que cada ponto é uma referência, que cada esquina é um “pare”, mas que toda curva é um “continue”, e avante, além, é que se vai, ainda que não se conheça a direção. Aqueles olhos veem tanto quanto eu, mas não sei se enxergam os sinais que enxergo. Não sei se eles se dão conta dessa corrida em que nos metemos e não tem volta, não tem. De repente, os olhos já nem se cruzam mais. Amigo, desconhecido, vizinho, parente: quem é quem? Não deu tempo de ver. Porque a gente corre, corre e corre… Acaba o combustível e seguimos correndo mesmo assim. Falta o ar, mas a gente não pode se faltar. E eu sei que falta um pedaço do mundo em nós. Eu vejo isso da janela do meu prédio, mas poderia estar vendo nos olhos que passam lá embaixo. Nas metáforas em que me explico, eu sou apenas mais um par de olhos a passar.
Camila Costa.

Eu lia demais, eu sofria demais, eu ria demais, eu sabia demais, eu vivia demais. Ou tudo demais, ou tudo de menos. Eu não sei ser feliz pela metade, eu não sei amar pela metade. Não existe meio cheio, tampouco meio vazio. Ou você tinha o meu exagero, ou você tinha o meu vazio. E a julgar pela saudade, muitos tiveram o melhor. E foi aí que houve o desperdício de mim mesmo.
Alugue Felicidade. 

Sabe essas pessoas de nariz empinado, que se acham a última coca-cola do deserto? Então, esse tipo de pessoa normalmente vai te olhar torto por se achar superior a você, um conselho que tenho pra dar em relação a essas pessoas é ignorar, sim, não dar a minima, porque o que elas querem é exatamente isso, que você se importe, fique com raiva, revide alguma palavra ofensiva ou alguma atitude ofensiva mas quando nos calamos, tudo fica melhor, sua consciencia fica leve. Bom, você sabe quem você realmente é, vai continuar fazendo sucesso na vida, e esse tipo de gente, bom, vai fracassar a cada dia tentando superar expectativas dos outros, expectativas de vida que não tem nada a ver com felicidade, ou seja essa coisa de diminuir o outro.
Imprudências da vida.  

2 days ago · 83 notes · reblog
originally desajustou · via desajustou
Tenho me esforçado para ser uma boa pessoa, tenho dado o meu melhor e parece que isso nunca é o suficiente. Parece que eu estou me desgastando para absolutamente nada, então desisti. Comecei a ver a vida outro jeito e descobri que as pessoas nunca irão ver o seu melhor e sim o seu pior. A grande jogada é fazer do seu pior um pouco melhor, nunca notarão o que há de bom em você mesmo.
Eu me chamo Anônimo.  

De vez em sempre eu me sinto insignificante. Não sirvo nem mesmo pra fazer com que alguém fique na minha vida. Se eu desaparecer por um mês, não tenho quem ligue e pergunte O que tá acontecendo? Volta, eu sinto sua falta. Não há quem sinta minha falta, tá acontecendo tudo e ninguém tá percebendo nada.
Dezembro, 1996. 

1 week ago · 672 notes · reblog
originally ocasionadora · via sonhavas